sábado, 28 de febrero de 2015

Delmar Domingos de Carvalho


Delmar Domingos de Carvalho

Nasceu em Lisboa, em 19 de Julho de 1939. 
Após ter frequentado quatro Escolas no Ensino Primário; uma, em cada classe, em todas considerado o melhor aluno, frequenta, a partir de 1950, a Escola Secundária de Figueiró dos Vinhos até ao 5º ano dos Liceus, seguindo para a Escola Luís de Camões, Lisboa, alínea e), rumo ao curso de Direito, tendo depois estudado Grego com destino a Histórico-Filosóficas.
Em 27 de Dezembro de 1965 casou com a professora Maria Amélia da Conceição Martins Medeiros de Carvalho, uma maravilhosa esposa, também no ideal do cristianismo rosacruz, de cujo matrimónio tem 3 filhos os quais casaram, tendo, neste momento, cinco netos, Inês, Marta, Eduardo, João Paulo e Margarida.
Defensor da Educação Permanente, obtém o Curso de Nutricionismo e Dietética em espanhol, em 1972, e nos anos seguintes inscreve-se na Faculdade Livre de Cultura Humana, Bordéus, França, tendo apenas concluído o curso de Biologia Naturopática.
Fez parte da Comissão Administrativa do concelho do Crato, após 25 de Abril de 1974, tendo participado em várias missões cívicas e defendido a construção de uma nova U.E. como uma outra ONU, baseado nos ideais cosmocratas, a criação de novas Instituições supranacionais, incluindo o uso do Esperanto, indispensáveis para a resolução dos problemas que, há anos, afligem a Humanidade e os outros reinos.
Esteve ligado ao Movimento Ecológico Português, criado em 1975, tendo sido o fundador do núcleo do Crato, numa visão panzoísta.
O seu interesse pelos valores espirituais, pela música e pelas restantes artes, tal como pelos direitos humanos, levaram-no a produzir vários estudos que têm sido publicados em diversos jornais e revistas, tendo participado em diversos colóquios e realizado algumas palestras.
Consciente do valor da educação, na sua dimensão integral e libertadora, apresentou um trabalho no VII Encontro Nacional das Associações de Pais e Encarregados de Educação, em 1982, em Lisboa, e, em representação da Associação de Pais da Escola Preparatória do Bombarral, subordinado ao tema: "O sistema Escolar, a Família e o Futuro dos Jovens", em que defendeu a criação da disciplina "Formação de Carácter", de acordo com ideais comenianos e heindelianos, tendo indicado o curso e as suas disciplinas donde sairiam os futuros professores para leccionar.
Os seus diversos artigos publicados em vários jornais sobre o Turismo conferiram-lhe, em 1987, o 1ºPrémio "Fausto Figueiredo", no concurso promovido pela Junta de Turismo da Costa do Estoril. Obteve também, em 1990, um 1º Prémio nos Jogos Florais do Ano Internacional de Alfabetização (prosa).
Tem colaborado em algumas dezenas de jornais e revistas nacionais e de outros países, não só como convidado especial, mas como colaborador, redactor e director-adjunto, ou em artigos de opinião, designadamente:
"O CASTANHEIRENSE" de Castanheira de Pera; "O NORTE DO DISTRITO DE LEIRIA";"A REGENERAÇÃO"; "JORNAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS"; "A COMARCA"; "O EXPRESSO DO CENTRO", todos de Figueiró dos Vinhos; "A VOZ DA GRAÇA", Pedrógão Grande; "REGIÃO DE LEIRIA"; "GAZETA DO SUL"; "NOVA GAZETA";"VIDA SOCIAL"; estes com sede em Montijo; "JORNAL DO BOMBARRAL"; "NOTICIAS DO BOMBARRAL"; "GLOBTUR", sede em Lisboa; Director-adjunto do "NOTICIAS DO OESTE", sede em Peniche; "FRENTE OESTE", sede em Torres Vedras; artigos publicados em "DIÁRIO DE COIMBRA"; "TREVIM", Lousã; "DIÁRIO DO ALENTEJO"; "JORNAL DO ALGARVE"; "A PROVINCIA DE TOMAR"; "REGIÃO DE RIO MAIOR"; "NOTICIAS DO ENTRONCAMENTO"; "MENSAGEM DO CRATO"; REVISTAS: "NATURA"; "MEDICINA NATURAL"; "VIDA SÃ", DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE NATURALOGIA; "HELIOS" DA ASSOCIAÇÃO VEGETARIANA; "VEGETARISCHE BODE", HOLANDA; "JOYAS ESPIRITUALES" DA FRATERNIDAD ROSACRUZ DE PARAGUAY; "ROSACRUZ" DA FRATERNIDADE ROSACRUZ DE PORTUGAL; "SERVIÇO ROSACRUZ" e "ECOS", AMBOS DA FRATERNIDADE ROSACRUZ DO BRASIL, SEDE CENTRAL, SÃO PAULO; "BOLETÍN INTERNO" DA FRATERNIDAD ROSACRUZ DE MAX HEINDEL, CENTRO DE MADRID; "TROIKALUSA", SEDE EM LISBOA, BILINGUE, PORTUGUÊS E RUSSO; "MENSAGEIRO" DO PORTO; "BOLETIM" DA ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO PATRIMÓNIO DO BOMBARRAL; "CONTESTE" LIGADO À DEFESA DO CONSUMIDOR, ANTES DO 25 DE ABRIL.
É membro fundador / director de várias associações, incluindo do Instituto Francisco Marques Rodrigues, tendo procurado incentivar a criação de um Centro de Estudos Paracelsianos, numa dinâmica semelhante ao de Salzburgo-Áustria.
Nas múltiplas iniciativas de carácter cultural, destacamos as várias exposições que organizou sobre os "Coretos", em diversas localidades desde Évora a Figueiró dos Vinhos; sobre esta actividade esteve, em 1997, no Programa A Praça da Alegria, RTP1; exposições documentais sobre o 25 de Abril, no Bombarral, 1996 e 1999; de Coménio, 1992; Paracelso, 1993; Dinastia Straussiana, 1999; Bach, 2000; Mozart, 2006. É autor da letra do Hino do CCMB.
Na área da Antropologia Cultural e Etnografia, tem diversos estudos, alguns, em parte, foram publicados em jornais, tendo servido para fonte de informação de teses de pós-graduação em Sociologia e de mestrado em Antropologia.
Na fotografia tem diversos trabalhos publicados em jornais e revistas, de Portugal e em outros países, entre eles, E.U.A.; organizado exposições, designadamente sobre o tema DESCOBRIR A BELEZA E A LUZ NA NATUREZA, com um Catálogo de sua autoria, pleno de mensagens ecológicas e filosóficas, sobre 105 fotos, a qual esteve no Bombarral, Caldas da Rainha, Externato da Benedita, Alcobaça e na Câmara Municipal de Vila Real de Santo António; obteve o 2º Prémio no tema "Defender a Paz antes que seja tarde", no 1º Concurso do Trevim-Lousã-1986 e o 1º Prémio no Concurso de Fotografia no Bombarral, sobre o tema: "Nossa Gente e Seus Costumes" e o 3º Lugar no tema: "Livre". 
Como coleccionador, entre os diversos temas culturais, a sua colecção sobre Bilhetes Postais Ilustrados tanto na forma estrutural como temática mereceu destaque na Revista do Clube do Coleccionador dos CTT, nº 4, ano 2002, devido ainda ao seu acentuado cunho didáctico,... sendo a criação de um Museu do Postal Ilustrado uma das suas aspirações.
No campo das biografias, tem vários estudos, alguns quase completos, com dados inéditos, de Coménio; sobre Paracelso (4 volumes); de Bach (3 Volumes). Em fotocópias, estão em várias localidades de diversos países da Europa às Américas, tendo ainda, em plano, a sua organização para serem editadas.
Como membro da Escola Rosacruz, onde ingressou, em 1965, esteve no Programa "ANDAMENTOS", da RTP2, debatendo o tema: "A Música e os Rosacruzes".
Obras principais: "Contos e Ficções em Misteriosas Evoluções" sob o pseudónimo, Domingo de la Rosa, 1982, esgotado; "A Comunicação, Esse Desconhecido Poder Sagrado" com o mesmo pseudónimo, 1983, esgotado; "O Vinho, factor de Evolução", pseudónimo Cruzrosa, 1985, esgotado; "Ensaio Cosmo-Histórico da Latitude de Tomar e o V Império", sob o pseudónimo, Rosâmide, 1986, esgotado; Catálogo da Exposição de Fotografia a Cores sobre o tema "DESCOBRIR A BELEZA E A LUZ NA NATUREZA", 1988; "A V Via Rumo à Cidade da Rosa", 2002, Edição Hugin, Lisboa; "A Flor da Esperança", 2004, Edição Hugin, Lisboa; Catálogo da Exposição "À DESCOBERTA DE MOZART", 1 de Outubro a 1 de Novembro de 2006, Edição da Câmara Municipal do Bombarral, Pelouro da Cultura e do Museu Municipal, Vasco P. Conceição / Maria Barreira; "Os Coretos do Distrito de Leiria», 2006, Edição do INATEL, fotos e textos, colaboração de Carlos M. Baptista, com prefácio do Maestro António Vitorino d’ Almeida; "MOZART, ESSE DESCONHECIDO, 2007, Edição da Editorial Minerva, Lisboa; "A ROSACRUZ E PORTUGAL, 2007, Edição da Editorial Minerva, Lisboa; MEDITAÇÕES DE UM NEÓFITO, 2008, Edição Editorial Minerva.



descargar desde aquí
Autor : Domingo Delmar Carvalho Traducción de Guillermo Marín Ramirez Medellin, Colombia 

*

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada